Ver perfil

REFRESCOS - #8 Segredos

REFRESCOS
REFRESCOS - #8 Segredos
Por paula gomes e mya pacioni • Edição Nº8 • Ver na web

uma seita
sou uma consumidora ávida de conteúdos sobre seitas. primeiro porque é interessante, segundo porque me forço a assistir como se fosse um conteúdo educativo, uma teleaula, telecurso 2000 para adultos tapados que têm medo de entrar de gaiato em uma seita e só perceber muito lá na frente. 
o conhecimento adquirido com esses documentários me permitiu descobrir os denominadores comuns entre as seitas todas. um deles é a prática de chantagear os integrantes que querem cair fora, ameaçando contar seus segredos pra todo mundo. a cientologia faz isso. induz a pessoa a confessar coisas, fica tudo gravado em fitas, e se ela dá sinais de que está pensando em dar linha na pipa¹, jogam as fitas na cara dela (não literalmente, mas taí algo que eles poderiam implementar para aumentar a carga dramática da cena) e falam: “possuo cópias até em marte e tenho as posses pra ir lá buscar essas cópias, se for o caso”. john travolta tá lá até hoje, dizem as más línguas, por medo dessas fitas². o que é menos vergonhoso do que estar lá até hoje porque gosta, então não devem ser as más línguas, não, coitadas, deve ser o relações públicas dele. a seita nxvim, aquela que a atriz de smallville participava, também tinha um esquema assim, mas eram nudes, se não me engano.
veja bem, não estou aqui querendo questionar o modelo de negócios de empreendimentos muito sadios financeiramente, mas se você não é uma celebridade do calibre de john travolta, suas indiscrições, mesmo que expostas em outdoors da cidade de interior onde você nasceu, me parecem ter pouco efeito prático na destruição do que sobrou da sua já combalida reputação. colocando em perspectiva, qual o real impacto que a revelação de uma traição ao marido pode ter na vida de uma mulher que já é chamada pelas costas de “aquela lá da seita”? 
eu tenho um palpite: o problema não é a exposição dos segredos, e sim o fato de que os segredos são sem graça, ou pior, inexistentes. a pessoa é chata. não tem um fetiche por pessoas fantasiadas de et bilu, não saiu fugida de outra cidade por ter organizado uma rebelião socialista, não comanda um bingo clandestino na edícula de casa, nada. traiu o marido com uma pessoa feia. é isso o grande segredo. ninguém se recupera desse constrangimento.
 
¹uma expressão criada de modo apressado, no meu entender, já que a pipa pode se afastar do pipador, mas continuará presa a ele pela linha, configurando uma falsa fuga.
²tom cruise também, mas acho engraçado que nem cogitam o fato de ele estar lá por causa das fitas. simplesmente assume-se que ele acredita na existência de um imperador intergaláctico chamado xenu que, para resolver o problema de superlotação do universo, resolveu matar um monte de alienígenas na terra, e os espíritos deles estão vagando até hoje de modo que o planeta inteiro é um cemitério indígena.
uma insegurança
João é um cara supersticioso. Acredita que existe um grande Universo ouvindo e julgando tudo que ele faz e que pode estragar tudo caso ele se empolgue demais. Chegava a botar esparadrapo no umbigo pra “barrar energias”. Mas João também é um tanto inseguro (óbvio), e precisa de apoio dos amigos pra cada decisão que vai tomar na vida. 
Num desses zoom de quarentena com seu melhor amigo Pedro, João contou que estava na fase final de um processo seletivo para trabalhar na empresa de seus sonhos, o Bacefook. Faltava só mais uma conversa com o gestor da vaga e taria dentro. Ele tinha evitado contar até pros pais, por medo de alguém “gorar” a situação e ele perder. E também para evitar o papelão de fracassado caso não conseguisse a vaga. 
Sabe o vingativo Universo que detesta fofoqueiros? Então. Acreditava muito nele. 
Mas nesse dia ele sentiu que podia confiar no Pedro, implorou pra que não contasse pra ninguém e apenas torcesse por ele. E assim Pedro o fez. 
Na verdade não.
Pedro torceu, ficou feliz, mas contou pra sua namorada Maria. Ele confia na Maria mais que nele mesmo. Eles estavam falando sobre trabalhos em empresas “moderninhas” e comentou que achava que João iria se dar muito bem, “ele é a cara dessas coisas farialimers, adora uma seita corporativa”, disse enquanto dava um gole na sua terceira taça de vinho. Maria super concordou. 
Dois dias depois, Maria estava no seu treino de funcional com a irmã Clara. “Ah, lembrei de você outro dia. Sabe o João? Aquele amigo do Pedro super engomadinho? Vai trabalhar como designer no Bacefook. Não era teu ex que também trabalhava lá?”. 
Era sim, Clara confirmou. 
Aquele filho da puta que escondeu que era casado e que teimava em deixar a tampa do vaso levantada trabalhava no Bacefook. “Você precisava me lembrar dele? Que ódio!” “Ai, desculpa, achei que tinha superado”.
Não tinha.
Naquela noite Clara estava enfiada em pensamentos saudosos do filho da puta que a traiu com a própria esposa, bebeu gin, fumou um e depois de correr o feed do Instagram dele de cabo a rabo resolveu mandar uma mensagem. Afinal, podiam tentar ser amigos, né?
“Oiee Césinha, como você tá?” Césinha respondeu, claro. Tava com frio, cansado do Brasil e trabalhando muito, “e você Clarinha?” “Também. Vim falar com você porque você não acredita a coincidência, tem um amigo nosso designer que vai trabalhar contigo aí, o João.”
“Sério?” 
Clarinha não sabia que ao longo dos últimos anos do César Augusto a empresa tinha se reestruturado e ele era o único designer da casa.
Foi o suficiente pra gelar o estômago e marcar um 1:1 (reunião em farialimês) com seu chefe no dia seguinte. “Roberto, como assim fiquei sabendo de um novo designer? Você tem algo pra me contar?”
Roberto e César eram muito amigos. Aquela coisa “não somos colegas de trabalho, somos uma família, vestimos a camisa da empresa" - e às vezes um a do outro depois da sauna. 
Roberto ficou surpreso, e depois de umas ligações ficou sabendo que o RH estava tentando tirar o César dali para contratar alguém mais barato, e que aquela entrevista que ele ia ter não era para um novo estagiário e sim substituto do amante amigo.. Imediatamente combina com César que ia fazer de tudo para barrar o novo candidato e resolver isso com aqueles cuzões do RH. Ainda que fosse apenas para ganhar tempo. E se encontrariam como sempre depois do spinning para aquele gesto amigo da sauna.
Foi então que dois ou três dias depois João recebeu um email bem padrãozinho informando que “infelizmente seu perfil não foi selecionado mas constará no nosso Banco de Talentos para novas oportunidades”. 
Como assim? A vaga tava na mão. Era só falar com o futuro chefe e logo ele estaria dentro.
Imediatamente João soube o que era. Deu com a mão na testa. Era o Universo se vingando dele por ter contado pro Pedro naquele zoom. Óbvio! Quem mandou se empolgar. Melhor tomar um banho de sal grosso.
Mas uma coisa o tranquilizou. Ele confiava muito no amigo e não iria passar vergonha de seu fracasso com o resto da turma toda. Pedro é um bom amigo, ele sabe guardar segredos.
uma dica
Sue Loves Surprises - Saturday Night Live
Sue Loves Surprises - Saturday Night Live
Tem uma personagem do Saturday Night Live que é incapaz de guardar segredos, a Sue. Estraga todas as surpresas. Vale a pena ver no Youtube todos os quadros com ela, com o bordão perfeito “ohhh my God!!”.
Roleta do segredo
Conte pra uma pessoa que tem memória ruim: ou ela vai esquecer que você contou, ou ela vai esquecer era segredo.”
Curtiu essa edição?
paula gomes e mya pacioni

REFRESCOS é como uma coquinha gelada num dia quente. Pequenos textos como goles refrescantes na sua semana de caos.
Twitter: @myapacioni e @paulagomesn

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de paula gomes e mya pacioni via Revue.