Ver perfil

REFRESCOS - #3 Criatividade

REFRESCOS
REFRESCOS - #3 Criatividade
Por paula gomes e mya pacioni • Edição Nº3 • Ver na web

uma crônica
ser uma pessoa criativa é uma sina. a criatividade é uma vozinha dentro da cabeça que nunca ouviu aquele ditado “se não puder ajudar, por favor, não atrapalhe”. o dono da vozinha? um funcionário de carreira, com estabilidade assegurada, que fica te soprando ouvido:
 “e se… só uma ideia aqui… jogando ideias pra você, afinal, estou alocado no seu cérebro, está no meu job description… e se você fizesse essa ação mundana e trivial de um jeito diferente daquele que o resto do mundo está fazendo?” 
você, pragmática, escolada depois de desviar de centenas de situações assim em reuniões de trabalho, devolve a pergunta:
 “diferente, como?”
evidente que a vozinha já foi embora, desaparatou, foi prestar uma visitinha não-solicitada a outra mente criativa.
é extenuante estar constantemente movendo mundos e fundos só pra não fazer as coisas do jeito mais fácil, popular, da forma que todo mundo faz. é constrangedor também, já que o diferente, na maioria das vezes, não é melhor. na escola uma vez eu “fiz” um estojo a partir de um pote de xampu loreal elseve laranja. no ano seguinte, meu estojo era uma lanterna. as canetas ficavam no lugar onde iam aquelas pilhas grandonas, do tipo D. não satisfeita, eu ainda pintei a lanterna com uma tinta preta acrílica pegajosa, tornando a experiência de touch and feel do estojo-lanterna melancólica.
anos depois, por iniciativa própria, escrevi e dirigi uma peça de teatro na escola, que era uma “releitura” de cinderela, com um menino no lugar da cinderela e nenhum outro elemento conectando as duas histórias além de eu dizendo que era “uma releitura de cinderela” para convencer os alunos a participarem da peça. coloquei dois intervalos comerciais na peça de teatro (??) com produtos que eu tive o trabalho de inventar e fabricar, porque deus me livre fazer simplesmente… não sei… uma montagem tradicional de cinderela.
na adolescência, festas à fantasia eram uma constante fonte de ansiedade. nenhuma fantasia pronta, só alugar e vestir, era uma opção. não vou elencar todas as fantasias constrangedoras aqui para preservar um pouco minha imagem, mas cito uma, confeccionada com caixas de papelão de supermercado e envolvendo uma coreografia elaborada: peão da casa própria.
eu gostaria de dizer que essas experiências ficaram no passado, mas no momento em que escrevo esse texto estou olhando para a luminária da sala, cuja cúpula é um vaso de planta que gostaria de estar curtindo sua aposentadoria de forma mais digna, e inúmeros móveis e objetos pintados de forma irregular que eu chamo generosamente de “um tipo ainda não catalogado de pátina”.
um diálogo
uma dica
FRANK | Trailer Legendado - DISPONÍVEL EM DIGITAL ON DEMAND E DVD
FRANK | Trailer Legendado - DISPONÍVEL EM DIGITAL ON DEMAND E DVD
O filme Frank (Lenny Abrahamson, 2015). O vocalista de uma banda indie anda por aí enfiado em uma enorme cabeça de boneco feita de papel machê. dentro da cabeça — a de papel machê —, uma mente atormentada. dentro da cabeça humana, provavelmente uma vozinha impertinente…
outra dica
O livro “Roube como um artista” de Austin Kleon. O autor dá 10 dicas ótimas para quem precisa de uma fórmula mágica para criar. Dica: não tem fórmula mágica para criar.
Curtiu essa edição?
paula gomes e mya pacioni

REFRESCOS é como uma coquinha gelada num dia quente. Pequenos textos como goles refrescantes na sua semana de caos.
Twitter: @myapacioni e @paulagomesn

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de paula gomes e mya pacioni via Revue.