Ver perfil

REFRESCOS - #16 Cicatrizes

REFRESCOS
REFRESCOS - #16 Cicatrizes
Por paula gomes e mya pacioni • Edição Nº17 • Ver na web

a cicatriz alheia
sou muito curiosa com cicatrizes. se não fosse considerado importunação, pararia todo e qualquer desconhecido na praia para perguntar a história da sua cicatriz. na impossibilidade de fazer isso, crio as histórias eu mesma. cicatriz lateral no abdome, por exemplo, batata que foi apendicite. a pessoa foi no hospital três vezes, falaram que era virose, infecção urinária, nada, e na quarta tentativa o advento da medicina diagnóstica foi acionado. 
cicatriz grande vertical na canela: acidente de moto ou ataque não letal de tubarão (apenas uma mordida de investigação). 
cicatriz na mão, tava ventando, foi fechar a janela e ela espatifou na sua mão, ou foi tentar entrar em propriedade particular pra roubar fruta e cortou a mão no arame farpado. 
cicatriz no joelho: a pessoa começou a correr sem saber que o joelho era bichado, depois de dois meses de desempenho acima da média, inscrição para corrida da cidade comprada, vem o médico com o balde de água fria. 
cicatriz na testa: um bruxo com um retrospecto familiar triste. 
cicatriz na barriga: uma mulher que vai precisar passar a vida inteira explicando para semi-conhecidos o porquê de ela não ter feito parto natural. 
cicatriz nas costas: alguém arremessou um vaso de vidro contra ela porque falou algo extremamente irritante e se virou pra ir embora. 
cicatriz vertical começando na testa, passando pelo olho e terminando na bochecha: estou assistindo o rei leão pela vigésima vez. 
cicatriz no pescoço: tireóide te deixou na mão, né, sei como é.
cicatriz no queixo: criança que saiu do banho envelopada na toalha, caiu, não tinha os bracinhos pra segurar e caiu de cara no chão. 
cicatriz no centro do peito: cirurgia cardíaca ou saiu um monstro cronenbergiano do corpo dela e nesse caso é melhor manter distância porque ainda pode estar infestada. 
cicatriz na coxa: mordida de cachorro ou pisou em uma mina terrestre durante uma viagem para colômbia.
se pudesse checar minhas versões com a do portadores das cicatrizes, acho que erraria todas. histórias de cicatrizes sempre são peculiares. eu, por exemplo, tenho uma no rosto. resultado de uma catapora e uma vó com alzheimer e uma no peito envolvendo uma gangorra, uma criança cruel (camila) e outra criança doce, porém ingênua demais.
dois primos
— E esse carro velho no seu antebraço?
— Quê??
— A cicatriz.
— Como assim carro velho? 
— É um ex-corte! 
— Ah meu deus, Jhonatan! Como você é idiota!
— Para vai, você riu.
— Só porque eu gosto de você e a gente ta pelado aqui na cama, senão eu ia embora!
— Mas conta, o que rolou?
— Eu.
— Como assim?
— Eu rolei. Era criança e tava brincando na ladeira da casa da minha tia. Bando de primo maluco testando manobra de patins, eu novinha panguando ali no meio da rua, não vi meu primo descer correndo e ploft. Rolei rua abaixo igual um abacate. Aí abri aqui um talho.
— Caramba. Doeu?
— Não lembro, lembro que meu primo tentou fingir que não tinha acontecido nada puxando a manga da minha blusa pra cobrir mas ela era branca e foi ficando vermelho vivo empapada de sangue.
— Ai cacete, informação demais. Eu passo mal com sangue.
— Mas eu só falei.
— Minha imaginação é fértil.
— E essa sua na testa? 
— Carro velho.
— Hahaha Sim, o seu carro velho, escort… O que foi que causou?
— Foi isso mesmo, carro velho. Meu tio tava comigo e com meus primos dentro do Opala dele, eu tava no banco da frente e eles atrás, meu primo fazendo um escândalo que era a vez DELE de ir na frente, começou a balançar o banco por trás
— Ai…
— E aí a mola que joga o banco pra frente pra entrar no carro, desses duas portas saca?, a mola tava ruim, então na sacodida dele ela soltou e o banco me arremessou no painel. Cortei aqui.
— Meu deus que perigo.
— Pois é, acho que foi logo depois desse ano que proibiram criança no banco da frente.
— Deviam era ter proibido primo no banco de trás.
— E de patins.
uma dica
History of a Joke: That's Gonna Leave a Mark
History of a Joke: That's Gonna Leave a Mark
Rir com essa coletânea que o Youtuber Shawn Khone se deu o trabalho de pesquisar por sete meses, com cenas onde os personagens falam a frase “that’s gonna leave a mark”, ou “isso vai deixar uma marca”.
outra dica
Lethal Weapon 3 (4/5) Movie CLIP - Comparing Battle Scars (1992) HD
Lethal Weapon 3 (4/5) Movie CLIP - Comparing Battle Scars (1992) HD
Relembrar esse trecho maravilhoso de Máquina Mortífera 3 (1992), onde Mel Gibson e Rene Russo comparam cicatrizes de batalha. (Dica enviada por Aperte o Alt).
Curtiu essa edição?
paula gomes e mya pacioni

REFRESCOS é como uma coquinha gelada num dia quente. Pequenos textos como goles refrescantes na sua semana de caos.
Twitter: @myapacioni e @paulagomesn

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de paula gomes e mya pacioni via Revue.