Ver perfil

REFRESCOS - #15 Casa

REFRESCOS
REFRESCOS - #15 Casa
Por paula gomes e mya pacioni • Edição Nº16 • Ver na web

uma casa nada engraçada
moro numa casa ótimo custo-benefício. o custo do aluguel é baixo. o benefício é ter um teto acima da cabeça. por quanto tempo esse teto vai se manter ali, não se sabe. explico: a dona da casa é avarenta. e não precisa de anos vivendo nessa casa, sofrendo toda sorte de dissabor, para descobrir isso. é só olhar para ela. 
a casa fica em um desses condomínios de casas iguais. mas ela não é tão igual assim às demais, na medida em que não tem itens básicos, como uma calha, todas as telhas intactas e paredes da fachada que não estejam descascando. 
isso é o que os vizinhos podem ver. o que eu posso ver é bem pior.
nos quartos, o chão é de taco. não esses bonitos, com sinteco. um taco do período do brasil colônia. velho, riscado, apodrecido. já se soltaram tantos que pode-se dizer que hoje o chão é mezzo taco mezzo cimento. eu vou guardando diligentemente os que se soltam em uma gaveta que eu chamo carinhosamente de “ah mas essa filha da puta não vai me foder quando eu for entregar a casa MESMO”.
a fiação é tão velha e cheia de gambiarra que quando eu estou voltando pra casa e vejo uma nuvem de fumaça no céu ou cheiro de queimado, penso “pronto, foi hoje que a bendita pegou fogo”.
os chuveiros queimam toda hora. teve um período, anos atrás, que no meio do banho caía o disjuntor e precisava sair do banho pelada, molhada, no escuro, para religar. quando recebia gente em casa, eu ficava à postos no corredor caso ele caísse no meio do banho da pessoa. magicamente parou de acontecer e agora estou com medo de, ao relembrar esse período difícil, eu tenha sinalizado ao universo que é para voltar a fazer cair o disjuntor.
quando chove, começa a escorrer água de algumas paredes, como se a casa estivesse chorando pelos anos de abandono. uma vez estourou um cano aqui que causou um vazamento horrível no vizinho. a dona da casa pediu para eu supervisionar o trabalho do encanador, pra ver se ele estava fazendo um bom serviço, já que ela “tinha pagado tão caro pelo conserto”. o que seria supervisionar o trabalho de um profissional na condição de leiga, eu me pergunto. ficar sentadinha do lado dele perguntando “o que você está fazendo agora?” a cada cinco minutos?. bom, se foi isso, eu não fiz. conversamos amenidades. mas logo o papo ficou estranho e eu deixei ele fazer o seu trabalho em paz.
o teto da cozinha, que fica logo abaixo de um dos banheiros de cima, tem uma mancha e um estufado preocupantes. fora o episódio do encanador, não posso chamar outras pessoas pra resolver os problemas da casa. tem que ser o junior, homem de confiança dela. ele é ótimo, sempre que vem, conversamos muito. é uma simpatia. o problema é que não tem senso de urgência. esse teto da cozinha mesmo, eu nem teria reparado se um dia ele não tivesse apontado para pra cima e falado “tá feio isso, deve ser infiltração”. faz três anos. estou esperando ele voltar pra arrumar até hoje.
um conselho
Uma vez eu comentei que havia perdido peso, de novo, pra uma amiga. 
“Um saco, é só eu passar uma semana meio ocupada demais ou distraída e já sinto na balança”.
“Casa”, respondeu ela, certeira, sem nem tirar os olhos do celular.
“Que?”
“Casa, resolve isso rapidinho”.
Não era a primeira vez que me sugeriam casamento como dieta hiper-calórica. Lembro que lá pelos meus 20 anos eu ia pra academia todo dia e tomava estimulante de apetite, guerreando pra conseguir 2 ou 3kg a mais, e uma tia já tinha apontado a dica como se fosse óbvia: “Casa. Você vai ver como engorda rapidinho.”
Aconteceu tantas vezes esse conselho que hoje quase aos 40 eu penso que talvez seria mais fácil mesmo casar do que passar de novo por todo esforço que já desprendi em médicos, academias e Whey Protein.
Seria só fingir que gosto de alguém que também fingisse que gostasse de mim por uns meses, assina uns papéis e pronto, logo estaria eu na frente do espelho dando tchauzinho pra minha própria imagem e satisfatoriamente vendo uma pelanca balançar embaixo do meu braço.
Só não me disseram ainda quanto tempo pra chegar o resultado. 
Um mês? Um semestre? Um ano? 
E as condições de uso do benefício adiposo, são pesadas? Tenho medo das letras miúdas.
Se eu divorciar eu perco tudo que ganhei ou fico só com metade dos quilos na divisão de bens?
Tem bônus pra cada filho que eu tiver? De quanto? Preciso de vantagens claras pra esse aumento de pacote.
O casamento precisa envolver amor? Eu tenho que amar os filhos? Serei responsável por cozinhar? Veja bem, esse último ponto é crucial e se depender só de mim acredito que não daria o resultado esperado.
Me angustia que nenhuma dessas pessoas que disse “Casa!” pôde explicar essas questões. Ficam só nessa resposta vaga, porém tão certeira como se estivessem me respondendo as horas.
Veja, não sou descrente de possibilidades de tratamento fora da nutrição esportiva tradicional. Se me disserem pra botar esparadrapo no umbigo depois das refeições pra não ter gasto calórico pelo chakra 2, vou só perguntar se pode ser micropore que “agride menos a pele”.
Então tudo bem, eu caso, se o ganho for garantido e fácil. Mas preciso de informação. Não quero ter que lidar com pormenores de domingo na sogra e grupo de mães de primeira viagem no whats. 
Quero só mais seis quilos e poder dizer pra alguma novinha, com calma e sabedoria: “Casa. Resolve isso rapidinho”.
uma dica
The Last Black Man in San Francisco | Official Trailer HD | A24
The Last Black Man in San Francisco | Official Trailer HD | A24
O filme The last black man in San Francisco (Joe Talbot, 2019). Nesse filme semi-autobiográfico, o ator Jimmie Fails interpreta o personagem Jimmie Fails, que planeja comprar a casa onde viveu a sua infância: uma mansão de vitoriana localizada em um bairro caríssimo de São Francisco.
Você sabia que paula e mya compartilham do mesmo sobrenome e não tem nenhum grau de parentesco conhecido? As duas (e mais 1.697.128 brasileiros, segundo uma busca rápida no Google) possuem o sobrenome Gomes, provando que talvez alguns séculos atrás seus parentes foram parentes, moraram na mesma casa ou ouviram um conselho pra tentar engordar…
Curtiu essa edição?
paula gomes e mya pacioni

REFRESCOS é como uma coquinha gelada num dia quente. Pequenos textos como goles refrescantes na sua semana de caos.
Twitter: @myapacioni e @paulagomesn

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de paula gomes e mya pacioni via Revue.