Ver perfil

REFRESCOS - #13 Plantas

REFRESCOS
REFRESCOS - #13 Plantas
Por paula gomes e mya pacioni • Edição Nº14 • Ver na web

um shopping de plantas
a experiência de ir no ceasa aqui da minha cidade foi uma das que mais senti falta na pandemia. passear pelos boxes da flores falando “olha essa aqui” em voz alta; perguntar o preço; negociar o preço; comprar depois de negociar o preço, porque não tem como dar pra trás depois que a negociação já foi iniciada; e fazer as duas perguntas padrão: 
1- gosta de sol ou sombra? 
2-quantas vezes por semana precisa regar?
as respostas variam de acordo com o grau de compromisso do vendedor. se ele é o dono do box, vai te responder detalhadamente. se é um funcionário mal pago, vai responder que a planta é de meia sombra e que é pra regar duas vezes por semana, independentemente da planta. 
gosto também de como a conversa com os vendedores às vezes toma rumos enigmáticos. acontece muito quando eu vou comprar ervas para iniciar mais uma vez uma hortinha que vai definhar lentamente e morrer em semanas. em algum momento do processo de compra e venda, o vendedor arranja um jeito de me avisar que gosta de maconha.
-erva pra fazer chá é gostoso. eu gosto de chá de erva também, mas de outra erva hahaha
eu fico sem saber se é um código para venda de maconha ou se ele só é daquelas pessoas que, no afã de puxar conversa, acabam expondo questões pessoais para desconhecidos.
a situação na qual mais me vejo envolvida no manto do mistério é quando tento comprar um pé de limoeiro. tudo se passa como se eu estivesse tentando comprar maconha. começam a olhar de canto, confabulam baixinho uns com os outros e depois voltam para me informar que eu preciso comprar de um cara sem nome que tem uma caminhão FORA do ceasa. me sinto dentro de uma transação perigosa & proibida. 
escrevendo sobre isso agora, me ocorreu que de repente “limoeiro” possa ser outro código para maconha no microcosmo do ceasa. me ocorreu também de dar um google “é proibido vender limoeiro” só para eliminar de vez essa hipótese. qual não é a minha surpresa quando descubro que a hipótese não pode ser descartada: segundo o poluído blog agrolink, em algumas regiões do brasil a venda de árvores cítricas é controlada. 
como de hábito, não fiquei feliz com a resposta fornecida pelo google. matou um pouco minhas fantasias de ter pessoas me oferecendo maconha enquanto estou comprando tomilho, e sabe lá deus que produto quando estou tentando comprar um limoeiro. destruiu também minha alegria de ficar pensando o que mais de clandestino daria pra comprar no ceasa. seriam eles muito fiéis ao conceito “mundo vegetal” do lugar, recusando-se a vender bolsas e eletroeletrônicos pirata? ou, se eu escolhesse a planta certa e utilizasse as palavras certas, conseguiria comprar de um tudo lá dentro? um atestado no box de bromélias, quem sabe… seria uma mão na roda, já pensou, resolver tudo lá, em um só lugar.
um novo inquilino
— Então, e aqui você pode notar que bate bastante sol.
— Da manhã, né? Porque é meio dia agora e tá escuro aqui.
— Isso, por volta das 07h até umas 08h bate sol nesse canto aqui. Mas bastante.
— …bastante.
— É.
— Deixa eu te mostrar o resto… Por aqui.
— Sim.
— Temos esse quarto super espaçoso com esse armário embutido.
— Espaçoso contando o espaço dentro do armário.
— Tem 8 gavetas.
— E mofo. Umidade aqui tá trincando.
— Não é mofo, é pátina.
– Tá.
— Mas se você deixar aberto pela manhã melhora. Ou ficar perto da janela.
— No sol das 07h.
— Isso, no sol das 07h…
— Tá.
— Por aqui tem o outro quarto, que era um quartinho de empregada, mas não pode mais falar isso hoje em dia né…
— É o que é.
— É.
— Pode ser usado de despensa. Ou depósito mesmo, guardar mala.
— Sim.
— Sempre bom ter espaços assim. Mas no caso não é o melhor pra você né.
— Eu ficaria deprimida aqui.
— Eu sei.
— Não tá faltando algo nessa cozinha?
— Ela não é mobiliada mesmo.
— Não to falando de mobilia, mas tá estranho… Ah, nossa, não tem janela!
— Não precisa de janela na cozinha hoje em dia né, com exaustor já resolve a ventilação.
— Naquelas, né. E nem a luz das 07h vai bater.
— A lâmpada de led resolve.
— Pra você…
— É.
— Tá.
— Vamos ver se gosta do banheiro.
— Ok.
— Bem básico, privada, pia, chuveiro.
— Não tem box né, o vapor quente espalha todo direto.
— É, não daria pra por box nessa disposição.
— Porque o chuveiro tá meio em cima da privada né… 
— Vamos olhar o quintal?
— Tem quintal nesse apartamento?
— É meu apelido carinhoso pra varanda.
— Mas não vi varanda na sala.
— A varanda é a área de serviço.
— Você vai me oferecer a área de serviço?
— É o único lugar que bate algum sol depois das 08h da manhã.
— Caceta. Prefiro a sala.
— Tá, você vai gostar daqui… Fazer amizade com o gato…
— Você tem gato?
— Não tá vendo o chão de taco? 
— Verdade. Então seremos nós 3 nesses estranhos 25 metros quadrados?
— Isso.
— Eu não sei se fico com dó de você por morar num apartamento com essa planta toda mal feita…
— …ou de você mesma por ser a planta que vai morar comigo nesse apartamento de planta mal feita?
— Pois é. Aliás, você sabe que gato come planta, né? Me pendura no teto.
— O teto é de gesso, não dá.
— Janela então?
— Mas o moço da loja disse que você era de meia sombra.
— Sua janela é uma meia sombra.
— Justo.
uma dica
Trees - SNL
Trees - SNL
O Rap das Árvores, pelo Saturday Night Live.
Agora a gente criou um Twitter e um Instagram! Segue a gente por lá. Ainda não decidimos que tipo de conteúdo faremos mas você já segue tanta porcaria, porque não mais uma?
Curtiu essa edição?
paula gomes e mya pacioni

REFRESCOS é como uma coquinha gelada num dia quente. Pequenos textos como goles refrescantes na sua semana de caos.
Twitter: @myapacioni e @paulagomesn

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de paula gomes e mya pacioni via Revue.