Escolhendo coisas

Escolhendo coisas
Por Arthur Freitas • Edição Nº23 • Ver na web
Já fazem alguns meses que eu mantenho um hábito de perguntar o que eu vou jantar nas noites de sexta-feira para meus amigos no Twitter.
Eu demorei para perceber, mas esse é um reflexo de algo que aconteceu com muitas coisas durante a pandemia: eu não tenho mais disposição de tomar decisões sobre certas coisas. Eu acabo assistindo sempre a mesma série, ouvindo o mesmo álbum, revendo os mesmos filmes, porque é algo que não requer que eu escolha algo novo.
Mas eu ando sentindo muita falta de algo novo. Essa semana eu tava revendo o trailer do novo filme do Wes Anderson, The French Dispatch, e ficando com saudade de estar empolgado por assistir novos filmes. E é algo que eu quero tentar a partir dessa própria semana. Eu não tenho um plano exato de como fazer isso, mas eu provavelmente vou falar do meu progresso lá no Pão.

Minha dieta cultural nas últimas semanas
The Americans (Prime Video): tô no clímax da quarta temporada, onde as ações dos espiões nos primeiros dois anos começam a cair na cabeça deles, e tô explorando com qual ângulo dá pra falar de como essa série é boa lá no Pão. Mas gente, é sério. The Americans é uma das grandes séries da época de ouro da TV. É uma das grandes narrativas trágicas da TV.
Liga da Justiça de Zack Snyder (Popcorn Time): amigos, eu assisti todas as quatro horas na noite passada (por isso eu acordei tarde e essa edição está chegando até vocês nessa hora!!), e eu gostei! É uma bagunça, dá pra ver que são dois filmes misturados em um, mas tem sacadas muito bacanas sobre como eles são os mitos da nossa época. Eu escrevi mais sobre no Letterboxd.
Paraíso Infernal (Popcorn Time): esse filme do Howard Hawks tem umas cenas de pilotagem de avião de cair o queixo, e é um dos filmes responsáveis pelo sentimento da abertura dessa newsletter. Um filme que eu nunca ouvi falar, descobri, e agora sou fã. Eu sinto falta de descobrir coisas boas assim de uma maneira orgânica. Anda acontecendo tão raramente nesse último ano.
Os filmes do Oscar: ah, sim, eu comecei a assistir os filmes indicados. Meu ranking dos filmes indicados ao Melhor Filme:
  1. Minari
  2. O Som do Silêncio
  3. Mank
  4. Nomadland
  5. Os 7 de Chicago
Nomadland é o favorito por enquanto, e é um baita filme. Eu ainda não assisti Bela Vingança, Judas e o Messias Negro e O Pai. Quero dar um jeito de ver pelo menos dois deles hoje.
Curtiu essa edição?
Arthur Freitas
Por Arthur Freitas

Um textinho logo de manhã.
Links legais e leituras bacanas.
Um sábado sim, um sábado não.

Se você não quer mais receber essa newsletter, por favor cancele sua assinatura aqui.
Curadoria cuidadosa de Arthur Freitas via Revue.