View profile

coisas estranhas # - 76

o que esperar de 2017
moreno [newsletter]
coisas estranhas # - 76
By moreno [newsletter] • Issue #25 • View online
o que esperar de 2017

Ano novo vida nova
sabe o que significa mudar de ano? nada. mas a gente é otário e faz planos. 12 resoluções de ano novo para tímidos e introvertidos e como bater todas as metas no próximo ano, de acordo com psicólogos de harvard
o que eu desejo pro meu 2017 é anarcohacking no estilo Mr. Robot. não precisa quebrar vidraça de banco, nem pegar em armas ou partir pra violência gratuita. só as habilidades computacionais necessárias pra destruir o sistema bancário e eliminar todo o débito do mundo. imagina um belo dia todo mundo acordar com zero na conta bancária: sem saldo, mas também sem dívidas. tenho certeza absoluta que os chineses tão trabalhando nisso. 
aprendam o máximo que puderem sobre cryptocurrency esse ano. o mundo vai ser bitcoin e blockchain total, sem mais intermediários. comecem janeiro ligando pro gerente do seu banco e manda ele enfiar aquela anuidade obscena do cartão no meio do cu do chefe dele, porque agora vc é hipster liberal e adotou o cartão roxinho sem anuidade que vc controla pelo app. siga também este pequeno manual de como alugar STR e faça seu dinheiro render 32 vezes mais do que na poupança. oh glória.
percebam que o grande lance é virar investidor, seguir aquele mantra do fazer o dinheiro render pra vc, sem trabalhar. porque né, alguma hora nesta vida eu quero deixar de viver frugalmente. se alguém ainda em 2017 diz que bolsa família é sustentar pobre, pode então ir lá e reclamar da bolsa bilionários, porque pra essa turma a renda básica universal já existe. quero a minha. 
só sei que adoro histórias de gente que ficou rica bestialmente. tem o pesquisador que comprou bitcoin pra fins academicos e esqueceu. anos depois foi descobrir que a parada tinha rendido quase 1 milhão de dólares. tem o outro doido brasileiro que ganhou sozinho o equivalente a 3 milhões de dólares na loteria esportiva, chutando e acertando os placares mais esdrúxulos do futebol. eu, jenio que sou, achava que ganhar a megasena era bem simples: basta fazer todas as combinações com os 6 números sorteados dentro as 60 dezenas (muitas milhões de combinações possíveis, é verdade). contanto que o prêmio acumulado seja maior do que o valor pago por todos os jogos e eu fosse o único ganhador. faz perfeito sentido.
ou seja crianças, o dilema maior do cerumaninho que habita dentro de nós em 2017 é romper com o capitalismo e/ou continuar a viver a partir dele. no meu best case scenario de distopias para anos vindouros o capitalismo acaba. mudanças climáticas vão bater forte e tudo meio que recomeça do zero, sem muita perspectiva, mas com uma pontinha de esperança, bem parecido com o prólogo do Interstellar: sem exércitos, sem nações, não importam mais. o worst case scenario é terceira guerra mundial pra reequilibrar a demografia e acomodar o consumo global, que foi o que os imperialistas fizeram na última. E mudanças climáticas, das braba. que é bem parecido com o prólogo do The Road e o Elysion.
mas foda-se o meu pessimismo e ganância, a única coisa que importa é o maior espetáculo pirotécnico da virada do ano
em 2017
em 2017
Leituras
sabem quantos livros li em 2016? zero. sabem quantos lerei em 2017? zero. mas eu adoro as recomendações de leitura nas cartinhas de vcs e listinhas no goodreads. eu só acho, apenas acho, que quando forem fazer aquela listona de final de ano, que façam bonitinho como a taizze, sinopses sinceras e capas idem. na dúvida, criem um tumblr no tumblr e utilizem este tema
os 36 livros que bateram as listas entre quase todas as listas de melhores livros do ano. The Underground Railroad ganhando disparado
a listona gigante do filmoculous; a lista das listas do kottke; NYPL começou o ano promovendo a hashtag #ReadersUnite: tuíte uma foto do livro que você está lendo agora
Westworld
passando rapidão pra deixar meus 2 cents sobre westworld e o veredito é o mesmo de stranger things: achei uma merda. fora evan rachel wood e ed harris de colírio, a única coisa que salva é esse apanhado intenso de referências, que, pra quem tem, torna essas séries nostalgia wannabe todas muito previsíveis e lentas. se for pra perder 10 horas da vida, pelo menos invista em the searchers, ex machina e metropolis.
a única coisa inovadora e intrigante que a série proporcionou é que Rodrigo Santoro encontrou sua doppelganger
Cinema
ainda sobre tv e cinema, lamento dizer que tô total por fora de todos os que foram indicados como melhores de 2016. só vou conseguir fechar na véspera do oscar, quando todos os piratão já terão vazado. o único que vi e gostei foi o Neon Demon, mas mais pelo visual dos filmes do nicholas winding refn do que pelos enredos. Julieta foi um filme legal que eu vi esse ano, mas almodovar deve tá meio batido, não figura em nenhuma das listas que encontrei. eu indicaria com ressalvas o hell and high water e o hunt for wilder people. tô montando o meu watchlist no imdb de filmes que foram lançados em 2016 mas que sou verei em 2017, pra quem quiser me acompanhar na maratona até o oscar
dois filmes que eu tô na pilha de ver: a cure for wellness e el abrazo de la serpiente
vejam essa montagem das melhores direção de arte/fotografia de filmes em 2016 que é foda. tem essa outra seleção de melhores tomadas/cenas
e last but not least 2016, o filme
em 2017
que em 2017 eu me inspire nessas pessoas maravilhosas
que em 2017 gatos continuem a atrapalhar nossos estudos
que em 2017 eu mude o corte de cabelo
que em 2017 o mannequin challenge evolua pra algo nesse naipe
que em 2017 tenhamos mais gols assim
um abraço pra vcs
um abraço pra vcs
Did you enjoy this issue?
moreno [newsletter]

quando faço 3 gols peço chatuba de mesquita

If you don't want these updates anymore, please unsubscribe here
If you were forwarded this newsletter and you like it, you can subscribe here
Powered by Revue