Imagina só - Minhas leituras do 1º quadrimestre de 2022

#12・
17

edições

Assine minha lista

By subscribing, you agree with Revue’s Termos de Uso and Política de Privacidade and understand that Imagina só will receive your email address.

Imagina só
Olá pessoa, fico feliz que você esteja aqui e muito impressionado comigo mesmo. Quem diria que chegaria a doze edições?
Um cacho de envios, dizem que depois que você passa de dez é que começa a valer uma newsletter (fonte: ninguém), então vamos lá com um texto extra já que a proposta aqui é (pelo menos) uma história inédita por mês.
Vou falar nessa edição sobre as minhas leituras neste primeiro quadrimestre de 2022. Uma pessoa que escreve precisa ler muito para regar a mente e roubar algumas ideias também. Faz parte do jogo.

Livros lidos de janeiro a abril 2022
Livros lidos em 2022, até aqui. Descrição: Uma lista com nove capas diversas de livros.
Livros lidos em 2022, até aqui. Descrição: Uma lista com nove capas diversas de livros.
Não estou procurando bater meta alguma, tenho tido uma abordagem mais tranquila em relação às minhas leituras e, por incrível que pareça, isso tem me ajudado a ler mais. Claro, adicione a isso o fato de estar me forçando a ficar um pouco longe do celular chorando no twitter ou jogando paciência spider. Esse ano, até aqui, li 9 livros (10 se contar um que comecei em dezembro e terminei em janeiro) e vou destacar abaixo os que mais gostei e indico.
Malevolon S/A - Lionel Leal
“Nathanael deu um gole em sua caneca de hidromel e marcou a linha onde tinha parado de ler o relatório. Sentia saudades de uma época mais simples, em que podia brandir seu machado contra pretensos heróis ou torturar camponeses sem precisar preencher doze formulários em três vias. ” 
Capa do ebook Malevolon S/A. Descrição no fundo branco se lê o nome do autor Lionel Leal, ilustrações de Raphael Salimena e logo abaixo e em letras maiores o título Malevolon S/A. Abaixo tem o logo da Balão Editorial e um desenho de Raphael Salimena onde criaturas fantásticas vestidas como trabalhadores caminham rumo a um castelo.
Capa do ebook Malevolon S/A. Descrição no fundo branco se lê o nome do autor Lionel Leal, ilustrações de Raphael Salimena e logo abaixo e em letras maiores o título Malevolon S/A. Abaixo tem o logo da Balão Editorial e um desenho de Raphael Salimena onde criaturas fantásticas vestidas como trabalhadores caminham rumo a um castelo.
A vida burocrática encontra a vida da fantasia medieval no livro de estreia do grande brother, sócio da POCILGA, companheiro de podcast, time e muito mais ❤️ Lionel Leal. A edição e distribuição ficou por conta da fantástica Balão Editorial.
Já falei que é imperdível? Não? É imperdível, sério. É como se Lionel tivesse criado um novo gênero literário. Confira e depois me conte o que achou.
Just Ride: A Radically Practical Guide to Riding Your Bike
Capa do Livro Just Ride. Descrição, capa retangular com fundo vermelho onde se vê o desenho de uma bicicleta e, acima dele, o título do livro Just Ride: A Radically Practical Guide to Riding Your Bike e abaixo o nome do altor Grant Petersen em letras brancas.
Capa do Livro Just Ride. Descrição, capa retangular com fundo vermelho onde se vê o desenho de uma bicicleta e, acima dele, o título do livro Just Ride: A Radically Practical Guide to Riding Your Bike e abaixo o nome do altor Grant Petersen em letras brancas.
Disponível apenas na versão em inglês (por enquanto), esse ‘guia’ escrito por Grant Petersen casou perfeito com o momento que estou vivendo e, mais ainda, me ajudou até escrever a minha crônica anterior. Fui influenciado por Austin Kleon que, por sua vez, também anda ‘militando’ a favor do ciclismo, mas não aquele que tenta te vender um milhão de coisas e transforma toda a diversão que é andar de bike em um trabalho, como se todos nós precisássemos ser atletas do pedal.
O livro tem algumas passagens bem polêmicas, principalmente nas partes que envolvem segurança e saúde, o qual, o autor não parece ser a pessoa mais qualificada para discutir o assunto e, algumas outras situações não se encaixam com a realidade que a gente vive aqui no Brasil e, muito menos, com a que eu vivo aqui em Salvador. Mesmo assim é um livro bastante recomendado para quem consegue ler em inglês e ama pedalar sem as ‘amarras’ de precisar evoluir sempre, como um Pokémon.
A Pintora de Henna
“Fugindo de um casamento abusivo, Lakshmi, de 17 anos, acaba indo parar na vibrante Cidade Rosa de Jaipur, nos anos 50. Ali ela se torna a artista de henna - e confidente - mas requisitada pelas mulheres da alta sociedade indiana. Mas, guardando os segredos dos ricos, ela Jamais pode revelar os seus próprios…”.
Capa do Livro de Alka Joshi - A Pintora de Henna. Descrição: Livro de capa preta com letras em rosa mostrando o nome da autora e o título do livro. Ao fundo, pinturas de henna em amarelo com temas florais.
Capa do Livro de Alka Joshi - A Pintora de Henna. Descrição: Livro de capa preta com letras em rosa mostrando o nome da autora e o título do livro. Ao fundo, pinturas de henna em amarelo com temas florais.
Alka Joshi nasceu na Índia e cresceu nos Estados Unidos desde os nove anos de idade. Ela tem um MBA da Universidade de Stanford e um MFA da California College of Arts. Aos 62 anos, Joshi lançou este livro que é o seu romance de estreia.
Lindo e com uma história que pode parecer batida à primeira vista, Joshi conversa sobre a Índia, castas, preconceitos, machismo e, de quebra, conta um pouco sobre a época em que o país estava vivendo os primeiros anos após a sua independência. É uma história fictícia de uma mulher que lutou muito para conseguir ser independente numa época ainda mais difícil que os tempos atuais, mas como a própria autora mesmo confirmou, existe muita verdade em seu livro e muitas passagens se confundem com o que familiares dela viveram.
Saiu pela TAG Inéditos, então até chegar no “circuito comercial” das livrarias deve levar alguns poucos meses, mas se tiver a oportunidade, vale a pena conferí-lo. A história demora um pouco a engrenar, mas vale cada minuto investido nela.
Não vou falar sobre Torto Arado
Todo mundo já falou sobre Torto Arado e não tenho nada mais de útil a acrescentar. Apenas fico feliz de ter corrigido minha falha de caráter antes desta obra prima sensacional de Itamar Vieira Junior virar série pela HBO Max. Pra quem não leu ainda, sim, é tudo o que dizem.
Os outros livros que li, não achei nenhum ruim, mas como destaques acho que os que comentei acima já valem demais e eu sei que nosso tempo é finito.
E o que estou lendo agora?
Eu tento, mas nunca consigo ler apenas um livro por vez, geralmente estou lendo dois ou três ao mesmo tempo. Explico: Gosto de espalhar minhas leituras pela casa e pelos lugares. Tem sempre algo no Kindle que geralmente leio a noite, tem sempre (pelo menos) um livro físico para eu ler durante o intervalo do almoço e nos finais de semana e, às vezes, encaro ler algo no celular, apesar de odiar.
Então, no momento estou lendo A Pequena Loja de Venenos de Sarah Petersen e que parece bastante promissor. Esse é o livro físico da vez, que fica na sala para eu, de vez em quando, cheirar suas páginas (espero que não tenha veneno ☠ nelas).
No quarto, à noite, estou lendo a antologia Farras Fantásticas. Imperdível (falei pouco essa palavra nessa edição). Autores nordestines contando histórias fantásticas sobre festas populares tradicionais. Apenas Leiam.
E no celular vou tentar ler o livro de Aline Valek Cidades Afundam em Dias Normais. Só que tem sido tão sofrido ler pelo scribd que estou pensando, seriamente, em comprar o livro físico porque esse merece demais.
Só isso… 😆 Tá bom né?
E você, o que tem lido? 🤓
Curtiu essa edição? Sim Não
Imagina só
Imagina só @marciosmelo

Contos, causos e ensaios com manchas de dendê. Uma história inédita por mês e o que mais ocorrer (ou não) nas outras semanas.

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Created with Revue by Twitter.
Salvador, Bahia, Brasil