Imagina só - Melhores leituras de 2021

#7・
17

edições

Assine minha lista

By subscribing, you agree with Revue’s Termos de Uso and Política de Privacidade and understand that Imagina só will receive your email address.

Imagina só
De onde vem as minhas ideias? A maioria delas de coisas que vivi, outras tantas dos dias que encostava na parte sanfonada do metrô ou ficava esperando o busu aparecer no ponto e ouvia conversas aleatórias.
Experiências de vida ajudam a criar histórias, mas nada como os livros para descobrir como estruturar um bom enredo, como fazer as pessoas continuarem virando as páginas e seguido em frente. Ao contrário do que fiz em todas as outras edições, nesta, a primeira de 2022, vou conversar um pouco sobre os livros que li ano passado e quais eu recomendo, fortemente, que vocês corram atrás.

Minhas leituras de 2021
O skoob, minha rede social preferida — mané Goodreads — fez o resumo das minhas leituras no ano passado e fiquei surpreso com o meu total de 35 livros. A maioria deles foram ebooks, mas mesmo assim a quantidade de livros ‘físicos’ que li foi considerável tendo em vista meu escasso tempo livre.
Leituras de 2021 - Skoob. Descrição: Série de tabelas onde mostra o total de livros (35) páginas (7310) e outras informações a respeito das minhas leituras em 2021. No canto inferior direito tem a imagem do maior livro lido (Kindred, 432 páginas) e o menor (E o Sertão Virou Mar, 15).
Leituras de 2021 - Skoob. Descrição: Série de tabelas onde mostra o total de livros (35) páginas (7310) e outras informações a respeito das minhas leituras em 2021. No canto inferior direito tem a imagem do maior livro lido (Kindred, 432 páginas) e o menor (E o Sertão Virou Mar, 15).
Não recomendo
Eu acho complicado falar em piores livros, mas tiveram alguns que não foram muito de meu agrado e vou nomear apenas um deles que é bem famoso e querido: Roube Como um Artista de Austin Kleon.
Essa é o tipo de leitura que me irrita, com mensagens positivas e cheio de design hipster, incentivos e positividade vazia. Tem até umas ideias bacanas e talvez seja melhor aproveitado para quem curte essa literatura gratiluz, para mim a única coisa legal foi que terminei ele rapidinho.
Outro livro que me decepcionei foi um cujo o qual o próprio autor me procurou no skoob e me passou o link para ler, dizendo que como eu tinha gostado de “Sertãounk” iria também curtir a obra dele. Li, fiquei preocupado com algumas coisas e comentei com ele que seria interessante tomar cuidado ao fazer “piadas” (8 mil aspas de cada lado) com minorias, etc, e ele simplesmente cagou. Disse que escrevia a realidade (preconceitos, racismo, etc) e era isso mesmo. Vejam bem, não é lutar contra o racismo, não é ter um personagem racista como exemplo claramente negativo, é fazer piadas racistas ou preconceituosas ou contra povos originários. Bom, não vou nem citar o livro pois dificilmente vocês irão encontrar, e é o tipo de marketing que é melhor não fazer.
Agora vamos ao que interessa:
Melhores leituras de 2021
Comecei o ano lendo o excelente Kindred de Octavia Buttler e nem vou perder nosso tempo aqui dizendo o quanto eu gostei deste livro. Apenas Leiam.
Li indicações de amigos e tive excelentes surpresas positivas com O Aprendiz de Assassino de Robin Hobb (obrigado Lionel), simplesmente fantástico e, fugindo um pouco de ficção, cheguei a Pele Negra, Máscaras Brancas (obrigado Junio) que foi o primeiro livro de Frantz Fanon, considerado um dos textos mais influentes da luta antiracista de todos os tempos.
Assinei promocionalmente o Kindle Unlimited e li muitos autores independentes, em sua maioria nordestinos e fica aqui a dica para vocês correrem atrás:
  • O Sertão Não Virou Mar e Morte Matada, ambos de G. G. Diniz
  • A Noite Tem Mil Olhos de Alec Silva
  • Tudo que eles tocam de Abel Cavira
  • Tchau de Ricardo Cury
  • Neuroses A Varejo de Aline Valek
Os dois últimos, em negrito, da lista acima, eu recomendo fortemente. O livro de Aline Valek é mais curtinho e tem quatro histórias imperdíveis, uma delas, a última é sensacional. Já o livro de Ricardo Cury é uma daquelas histórias em que a gente acompanha dois personagens em paralelo e espera os arcos se cruzarem no final, muito emocionante.
Esse livro de Ricardo Cury o mais engraçado é que fui com Ramon no dia do lançamento em Salvador (do livro) no antigo idearium. Quem é da cidade sabe o quão icônico é aquele local e essa foi uma noite bem divertida, com muitos reencontros e histórias surreais que rolaram que, em breve, quem sabe, se eu conseguir autorização dos envolvidos, escrevo para vocês numa futura newsletter.
Além de todas essas leituras que chegaram de indicações que vejo por aí ou que alguém me passa diretamente, assino um clube de livros (acho que é isso) em que recebo todo mês um livro diferente e inédito (no Brasil). Desses 12 livros que li ano passado, três deles são os meus destaques:
  • A Biblioteca da Meia-Noite de Matt Haig
  • A Garota que Não se Calou de Abi Daré
  • Longo e Claro Rio de Liz Moore
That´s all folks!
Estes foram os meus destaques dentre os mais de 30 livros que li em 2021. Não sei se manterei esse ritmo em 2022, mas pelo menos tenho como meta manter as minhas leituras a mais diversa possível, como vem sendo.
E vocês, o que leram em 2021?
O que acham de continuar enviando newsletters como estas intercalando meus contos?
Minhas leituras em 2021
Minhas leituras em 2021
Curtiu essa edição? Sim Não
Imagina só
Imagina só @marciosmelo

Contos, causos e ensaios com manchas de dendê. Uma história inédita por mês e o que mais ocorrer (ou não) nas outras semanas.

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Created with Revue by Twitter.
Salvador, Bahia, Brasil