entre aulas

Por Danilo Heitor

crônicas e contos de um professor

crônicas e contos de um professor

By subscribing, you agree with Revue’s Termos de Uso and Política de Privacidade and understand that entre aulas will receive your email address.

152

assinantes

20

edições

#20・

Sobre abraçar o caos

Não escrevi nas duas últimas semanas por alguns motivos, relacionados entre si: estive bastante ausente da escola (por feriado, gripe, estágios obrigatórios de educação digital) e consequentemente não tive muito assunto que me motivasse a escrever. Nas duas ú…

 
#19・

Sobre mudanças (CEP #10)

Eu nunca fui estranho às mudanças. Mudei de casa 19 vezes (e odiei o momento de mudar em cada uma delas, até as em que eu era muito pequeno para lembrar). Mudei de ideia milhões de vezes. De postura. De direção. E de trabalho — que é o assunto principal, mas …

 
#18・

Sobre desistir (CEP #09)

Já faz um tempo que eu penso em desistir. Sair da escola, dizer chega e não voltar nunca mais. Ir fazer qualquer outra coisa da vida. Um sentimento que, neste começo de 2022, tem se tornado mais e mais intenso.Não, eu não deixei de gostar ou de querer ensinar…

 
#17・

Outra vez (QA #09)

Amarrou firme a chuteira no pé direito. Não lembrava a última vez que tinha calçado uma chuteira. Quer dizer, com certeza antes do acidente, mas quando? Quanto antes? Buscou na memória um vestiário lotado, as chuteiras pretas, sempre pretas, mas não conseguiu…

 
#16・

Sobre o mínimo (CEP #08)

Quinze dias na escola proporcionam muitos temas para uma crônica. Muitas vezes, quinze minutos também. Nas duas últimas semanas eu pensei em escrever sobre muita coisa: o que acontece quando pedimos para as turmas criarem coisas depois de anos e anos sendo tr…

 
#15・

Amarelo piscante (QA #08)

Jennifer estava atrasada. O semáforo piscava em amarelo, e a placa ao lado orientava: ENTRE COM CUIDADO NO AMARELO PISCANTEIgnorou o aviso e, assim que passou por baixo dele, viu seu carro ser completamente tomado por uma luz amarela intermitente. A cada inte…

 
#14・

Sobre estar cansado (CEP #07)

Uma aula na escola pública municipal de São Paulo tem 45 minutos. É o tempo de metade de um jogo de futebol profissional, de um episódio de série, de uma viagem de ponta a ponta da linha azul do metrô. O que acontece nesses minutos, entretanto, reverbera dent…

 
#13・

Serei-a (QA #07)

Adriana dos Santos Neves, 37 anos, nascida em um 23 de março, 1,65m, 57kg, era uma paulistana de classe média alta que, por muito tempo, teve medo da transposição quântica e seguiu fazendo suas viagens de avião. Até que surgiu uma oferta de trabalho inegável …

 
#12・

Sobre viver sem (CEP #06)

Nesta terça de carnaval sem carnaval (o original, o popular, nas ruas), resolvi escrever sobre as aulas com os 5ºs anos nas últimas semanas. Como contei aqui, é minha primeira experiência com estudantes dessa idade, e também como professor de Educação Digital…

 
#11・

Pavulagem (QA #06)

Jean entrou pela porta do estúdio decidido. Também, depois de quase uma semana analisando cada possibilidade, cada espécie oferecida, já era hora de finalmente experimentar o tal simulador pelo qual praticamente todos os seus amigos tinham passado. Olhou na c…

 
#10・

Sobre a cumplicidade (CEP #05)

Primeira aula do primeiro dia na escola nova e vem a bomba: a professora de História faltou. Eu, eleito na semana anterior Professor Orientador de Educação Digital (professor de informática pros mais íntimos), planejava conhecer o Laboratório de Educação Digi…

 
#9・

Snif (QA #05)

— Sente só! Ela aproximou o nariz do telefone e fungou. Um cheiro cítrico, adocicado, entrou rasgando as narinas e foi despontar no cérebro, causando uma dorzinha fina. Afastou o rosto do aparelho e diminuiu a intensidade, cheirou de novo. Era perfeito. — Pod…

 
#8・

Sobre retornos e a necessidade de se refazer (CEP #04)

— Achei essa capa feia. — São os muros da escola.— Eu sei, mas achei feia. Cadê nossos alunos brasileiros?— Deve ser porque aqui só tem boliviano e indígena.Um dia depois do assassinato covarde e brutal de um congolês na zona oeste do Rio de Janeiro, foi esse…

 
#7・

A última festa (QA #04)

Cleber havia sido uma pessoa alegre e brincalhona. Ninguém, absolutamente ninguém, conseguia lembrar uma história triste dele, ou com ele, pra contar. De certa forma, isso era bom: deixava as conversas todas menos pesadas durante seu funeral. Não se ouviam ri…

 
#6・

Deu onda (QA #03)

— Nossa, mãe. Que uniforme feio. QUF — disse Roberto, olhando para o C e o H vermelho dentro do coração amarelo, no meio do peito da camisa branca da escola nova.— Feio demais, filho, mas o que importa é que a escola é muito boa. EMB — respondeu a mãe, contin…

 
#5・

Interferência (QA #02)

“Duas colheres de açúcar, três ovos, farinha”.Eu odeio essa estrada. Com todas as minhas forças. Preciso sair daqui logo."Hoje tem as coleguinhas no aniversário da doutora. Não sei como vou fazer para cantar com essa voz. Mas vou dormir um pouco de tarde que …

 
#4・

A visagem do ovo (QA #01)

Gerônima roçava a terra mais por teimosia. Tinha meses que não chovia. Meses que não crescia nada. Vá lá que seu feijão tinha fama de duro na queda, mas sem água não há nem luta para perder.Fazia porque era rotina, e sem rotina sobrava só a tristeza. Não dava…

 
#3・

Sobre a morte, o futuro e as segundas-feiras (CEP #03)

Quando faltava uma semana pra completar um ano da morte do meu pai, eu escrevi um texto colocando pra fora todos os soluços e as lágrimas que serviram de tempero na hora do almoço, sozinho, pelos botecos do Anhangabaú, onde eu trabalhava, depois que ele se fo…

 
#2・

Sobre elefantes e correntes (CEP #02)

Escrever semanalmente sobre a(s) escola(s) é um desafio interessante.Porque uma semana em tempo escolar é um mundo inteiro.Nesta, terminei dois projetos na escola nº 3, um de criação de países imaginários e outro de produção de uma intervenção urbana abordand…

 
#1・

Sobre recobrar o sentido (CEP #01)

A escola pandêmica abre e fecha. Nesse movimento, qualquer continuidade se perde: quem estava na sua frente segunda-feira não está na sua tela na quarta, e mesmo quando está não necessariamente está.Será assim por um tempo, mesmo com as vacinas. Quero imagina…