Ver perfil

Vocês pediram: a gente atendeu! Mais feedback!

Revue
 
BOM DIA MULHERADA! O tema da newsletter é sempre algo que me deixa cheia de dúvidas, mas como a ediçã
 

Jogo de Damas®

25 de Junho · Edição Nº14 · Ver na web
Notícias, dicas, tendências e inspiração de empreendedorismo, carreira, tecnologia e negócios com filtro feminino, direto na sua inbox!

BOM DIA MULHERADA!
O tema da newsletter é sempre algo que me deixa cheia de dúvidas, mas como a edição passada foi sobre receber feedback - recebemos vários de vocês -, nada mais justo do que montar uma newsletter com base no feedback que recebemos, né?
O conteúdo abaixo não está estruturado do jeito que costumamos fazer. Cada tópico/seção é um tema trazido por vocês para que a gente abordasse:
> Como pedir feedback?
>  Feedback de cliente
> Filtrar feedback
Falando em feedback, muitas de vocês pediram pra voltarmos a fazer eventos eeeeeeee a gente topou o desafio! Dia 31/07, em Porto Alegre, vai rolar o TechWomen, um evento para falar de negócios e tecnologia, que vai trazer um resumo do DWEN Summit, um evento para convidadas que rola mês que vem no Canadá. Nós estaremos lá e vamos o conteúdo pra vocês, em parceria com o Share! Garanta já seu ingresso aqui!
Mulherada de São Paulo, estarei aí com vocês essa semana! Quem quiser tomar um café, avisa respondendo esse email! 
Desejamos uma semana MA-RA-VI-LHO-SA para vocês! E com vitória do Brasil na Copa \o/
Beijos, Deb & Duda

COMO PEDIR FEEDBACK?
Eu tenho uma equipe grande e que trabalha remotamente e uma ou outra pessoa já veio me dizer que não sabia como estava indo, ou que sentia falta de não receber mais feedback. Eu prontamente percebi essa necessidade deles e passei a dar feedbacks mais constantes, além de criar uma ferramenta para dar feedback mais estruturados e periódicos. De qualquer forma, eu fiquei pensando assim: “mas por que não pedem feedback?”.
Acontece que nem todo mundo é igual e não é porque eu me sinto à vontade para constantemente perguntar aos meus chefes sobre meu trabalho (ou ainda perguntar para vocês no nosso Instagram o que acharam da newsletter) que todas se sentem, né?
O que eu sugiro é que você comece perguntando, como quem não quer nada, para seus pares, seus colegas. De preferência pessoas que você é mais próxima, sabe? Gente que quer o bem da gente, que quer que a gente cresça! E daí vale escrever e-mail se você não se sente à vontade de perguntar pessoalmente, marcar uma conversa mais formal sobre o assunto ou ainda perguntar de maneira despojada: “o que tu acha que posso melhorar meu trabalho?”.  
O ideal é sempre tentar ter esse approach mais positivo e construtivo, com foco nas melhorias - e se você quer feedback, é porque quer melhorar, não é mesmo? E lembre-se de perguntar exemplos e buscar trazer para o lado tangível da coisa. Sempre que não entender algo ou que ficar em dúvida, peça para a pessoa esclarecer.
Como “chefe” posso dizer que acho super legal quando alguém que trabalha comigo vem pedir feedback ou marca uma conversa comigo para discutir o seu trabalho. Eu gosto muito de ver o desenvolvimento da equipe e é legal fazer parte disso. Nem todos chefes são assim e também diferentes empresas têm diferentes políticas de feedback. Se a sua empresa for flexível com isso e seu chefe for aberto, eu sugiro ou um email perguntando alguma coisa mais específica ou marcar uma conversa para ouvir o geralzão.
Sobre coisas específicas, você pode querer saber se a apresentação do novo produto foi como seu chefe esperava, se as suas vendas estão de acordo com as metas, ou ainda você pode pedir uma dica/feedback, do tipo:
Oi chefe,
Tenho uma reunião para fechar um projeto essa semana e gostaria de pedir uma orientação. Com base nas minhas performances anteriores, quais aspectos você acredita que eu poderia melhorar para conseguir o melhor resultado?
Obrigada, Fulana de tal
Mas se quer saber um feedback mais geral, você também pode começar por um e-mail, caso não se sinta à vontade para falar pessoalmente:
Oi chefe,
Estou comprometida com meu desenvolvimento pessoal e profissional. Como você acompanha meu trabalho diretamente, gostaria de marcar um horário para falarmos quais pontos eu posso melhorar, bem como o que eu estou entregando de acordo com o esperado para continuar assim.
Obrigada, Beltrana
O bom de enviar um email antes é que seu chefe pode se preparar melhor e trazer dados mais concretos para a conversa.
Segue aqui alguns links mais específicos sobre isso:
Como pedir feedback (e usá-lo depois!)
Como pedir feedback para seu chefe
5 perguntas para pedir feedback
FEEDBACK DE CLIENTE
Feedback não serve apenas para profissionais com carreira e carteira assinada. Também serve para quem empreende!
Muitas vezes os feedbacks de cliente vêm sem a gente pedir como uma review no IFood, no Facebook, no Google. Ou ainda os feedbacks vêm através de uma pesquisa de satisfação, que pode ser simples ou elaborada, mas que serve para nós ajustarmos o que é necessário.
Sim, é importante ouvir o cliente, mas também é necessário que tenhamos bem claro quem é nosso cliente e qual problema nosso produto e ou serviço busca resolver. Assim, já filtramos feedbacks que não nos interessam ou que não tenham base alguma, como é o caso desse dono de um bar estilo “beira de estrada” que recebeu uma avaliação negativa no Yelp (site de avaliações americano) pois o ambiente era barulhento e o estilo era “boteco”. O dono do bar fala, educadamente, que essa é a proposta e que ela que escolheu errado.
Existe a máxima “o cliente tem sempre razão”, mas eu pessoalmente discordo. Vender um produto e/ou serviço é uma via de mão dupla e, principalmente no caso de serviços, que pode existir uma relação mais longa, vale a pena ter bem clara a sua proposta antes. Ou seja: ALINHE EXPECTATIVAS.
Uma vez eu contratei o serviço de uma designer e, sem perceber, eu pedia mais coisas do que o contratado, ou pedia mais mudanças. Sim, eu sei que é péssimo. Eu reclamei um dia pra ela de um dos trabalhos, falando que eu achava que tinha que ser assim e assado e ela prontamente me disse que o que eu estava falando agora era diferente do briefing, e que se eu ia mudar o briefing ela teria retrabalho e cobraria mais caro. Eu confesso que demorei um pouco para que a questão ficasse clara pra mim (eu achava que ela tinha que entregar o que eu contratei, não importa quantas mudanças houvessem), mas assim que ela explicou melhor eu me senti péssima. E tentei seguir sempre à risca o que tinha sido contratado e/ou o número de revisões do contrato.
Ao mesmo tempo, uma vez definido que o cliente é o cliente certo, vale a pena escutar o feedback e ver se você pode melhorar - nem que seja melhorar a parte de alinhar a expectativa e/ou comunicar melhor o que você está entregando. Quando tínhamos eventos regulares no Jogo de Damas sempre fazíamos Pesquisa de Satisfação - e rolava um sorteio para quem respondesse a pesquisa. Era nossa forma de valorizar a opinião daquelas pessoas que queríamos manter sempre por perto e para quem buscávamos fazer um trabalho excelente.
Segue mais links:
[Planilha] Questionário de satisfação do cliente
3 maneiras de fazer pesquisa de satisfação do cliente
Como realizar pesquisa de satisfação com clientes
Modelos de pesquisa de satisfação de clientes
COMO FILTRAR O FEEDBACK?
Em 2014 eu estive num DWEN Summit, no Texas, e conheci a Brene Brown pessoalmente! Se você não conhece, dá uma olhada nesse vídeo e se apaixone por ela - que tem um dos vídeos de TEDx mais assistidos do mundo. Os principais temas de estudo dela são vulnerabilidade e autenticidade - e receber feedback tem TUDO a ver com isso.
Um dos exercícios que ela nos passou na palestra foi fazer uma lista das pessoas que a gente podia contar para nos dar feedbacks que fizessem a gente crescer. Uma lista de pessoas que conheciam a gente, que se importavam com nosso desenvolvimento. Pessoas para as quais a gente quer ser uma pessoa melhor. Assim, toda crítica (por mais construtiva que pudesse parecer) que viesse de outras pessoas a gente poderia ignorar.
No trabalho ou no nosso negócio, sempre podemos filtrar se a pessoa que está nos dando feedback tem interesse REAL no nosso crescimento e/ou se a opinião dela é relevante para nosso desenvolvimento. Porque às vezes não é e isso é super ok. Não precisamos absorver tudo que “jogam” pra gente, não é mesmo?
O objetivo do feedback é melhorar, é ajustar algo buscando entregar melhor resultado. Se não é esse o efeito que a conversa ou as informações está tendo, mesmo depois de você refletir e/ou verificar com outras pessoas se aquilo que foi dito é válido mesmo, então bola pra frente e vamos focar no que de fato vai nos fazer pessoas e profissionais melhores, não é mesmo?
Já existe MUITA crítica para mulheres ou ainda preconceito/machismo disfarçado de feedback construtivo. Vamos selecionar melhor isso aí, né?
Mulheres, os links que eu encontrei falando sobre preconceito na hora do feedback são em inglês. Eu procurei em português e só achei dois, que não são tão completos. Então aí vão os links e Google Translator, se for o caso:
Mulheres têm personalidade mais criticada em avaliações de desempenho
Qual é o problema com as mulheres assertivas?
Porque sua personalidade pode atrapalhar sua promoção
Superando o feedback sexista no trabalho
Então era isso!
Esperamos que vocês tenham curtido o conteúdo da newsletter de hoje - que foi feito com base do feedback de vocês! Obrigada a Aline M., Cristina H., Georgia T., Helen F., Isadora K., Marianna L., Renata E., Roberta C. e Sueli B. pelas mensagens, dicas e sugestões.
Até semana que vem!
Deb & Duda
Curtiu essa edição?
Se você não quer mais receber essa newsletter, por favor cancele sua assinatura aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de Jogo de Damas® via Revue.