Ver perfil

Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades - Newsletter - Edição Nº3

Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades - Newsletter
Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades - Newsletter - Edição Nº3
A equipe de humanidades continua a programar um ciclo de mesas redondas sobre as oportunidades e os desafios que a IA impõe à democracia. O ciclo acontece até novembro e neste mês serão três mesas que introduzem alguns dos temas e discussões com o intuito de esquentar o debate do I Seminário Internacional Inteligência Artificial: Democracia e Impactos Sociais, que será realizado em 13 e 14 dezembro de 2021, e está sendo organizado pela área de Humanidades do C4AI – Center for Artificial Intelligence.

1. A Robótica Está Chegando na Escola, no Hospital...na nossa Casa! Estamos Preparados?
O que podemos esperar das novas facetas da robótica e como podemos nos preparar para usufruir de maneira produtiva e segura dos serviços que essa tecnologia pode nos oferecer. A democratização da informação e do conhecimento sobre robótica é essencial para que seja possível inserir todos os indivíduos na engrenagem desta tecnologia: quem constrói os robôs, quem os habilita para o uso social e quem usufrui de seus serviços.
Exposições: Esther Luna Colombini (Instituto de Computação da Unicamp) e Anna Priscilla de Albuquerque Wheler  (Ontario Tech University, Canadian National Institute for the Blind, CNIB Research e Mitacs). Moderação: Sarajane Marques Peres (EACH-USP e C4AI)
Dia 17 /9, das 15h às 17h, com transmissão em iea.usp.br/aovivo
2. A Superindústria do Imaginário
Lançado recentemente, “A superindústria do imaginário: como o capital transformou o olhar em trabalho e se apropriou de tudo que é visível” investiga as transformações do capitalismo que fizeram com que a imagem da mercadoria passasse a ser mais relevante do que o corpo da mercadoria.
Em diálogo com os pesquisadores Dora Kaufman e Vitor Blotta, o autor da obra, Eugênio Bucci, discutirá, neste evento, as dinâmicas sociais, políticas e econômicas que embasaram essa mutação, as implicações dela sobre o sujeito e a democracia, e o papel de tecnologias como a inteligência artificial nesse novo modus operandi do capitalismo. Moderação de Rodrigo Brandão.
Dia 23/9, das 9h30 às 11h30, em iea.usp.br/aovivo
3. As Implicações Sociais do Reconhecimento Facial: O caso da Segurança Pública
Os sistemas de reconhecimento facial atualmente no mercado apresentam taxas maiores de erro quando se deparam com os rostos de mulheres e negros.
Esse resultado é apontado por diferentes fontes de pesquisa. Apesar disso, tais sistemas vêm sendo usados à larga pelo setor público de diferentes países.
Outro evento integra um ciclo de mesas redondas sobre as oportunidades e os desafios que a IA impõe à democracia.
Expositores:
Vieses no aprendizado de máquina: tipos, origens e implicações sociais - Lívia Ruback (FRRJ)
O uso do reconhecimento facial na segurança pública - Pablo Nunes (Centro de Estudos de Segurança e Cidadania – CESeC)
Moderação: Rodrigo Brandão (C4AI)
Dia 28/9, das 16h às 18h, com transmissão em iea.usp.br/aovivo
ADMIRÁVEIS PENSAMENTOS NOVOS
PALESTRA
Blockchain, criptomoedas e China
Em palestra do Ladeip, da UFRJ, sobre Ascensão da China no Século XXI: Direito e Relações Internacionais, Cristina Godoy Bernardo de Oliveira falou sobre blockchain, criptomoedas e China. Assista
Blockchain, Criptomoedas e China - LADEIP Mod. China
Blockchain, Criptomoedas e China - LADEIP Mod. China
ARTIGO
Reconhecimento facial e viés algorítmico em grandes municípios brasileiros
Ao utilizar tecnologias de reconhecimento facial, o setor público brasileiro mostra-se atento aos riscos sociais dessa tecnologia? Foram investigados os diários oficiais digitais de 13 dos 17 municípios brasileiros com mais de um milhão de habitantes para verificar o uso do reconhecimento facial no transporte público. 
Leia o artigo publicado nos Anais do Workshop sobre as Implicações da Computação na Sociedade (wics) no SBC Open Lib - Sociedade Brasileira de Computação, 2021. Por Rodrigo Brandão (Sociologia-USP) e João Lucas Oliveira (Filosofia do Direito-USP). DOI
LIVRO
Foi lançada a obra coletiva ANPD e LGPD: Desafios e Perspectivas
A obra coletiva é organizada por Cíntia Pereira de Lima e tem a participação de Cristina Godoy Bernardo de Oliveira. O sistema de proteção de dados pessoais é colocado à prova constantemente. Não há suficiência em uma norma de proteção de dados. Para além dela, é imprescindível a preocupação com o seu enforcement. São levantados desafios e traçadas perspectivas, como essas, que esta obra traz, dedicando-se aos temas mais afetos à Autoridade Nacional de Proteção de Dados - ANPD e trazendo detalhes sobre o sistema de proteção de dados pessoais brasileiro, assim como pela experiência internacional (nomeadamente, dos sistemas de Argentina, Uruguai, Canadá, EUA, Portugal, Espanha, França, Itália, Alemanha e também da União Europeia), a fim de oferecer à sociedade brasileira robustos subsídios para a concretização do sistema protetivo no país. Pensando nisso e, em parceria com a editora Almedina, o Instituto Avançado de Proteção de Dados - IAPD realizou um webinar, que pode ser acessado no canal do IAPD no YouTube.
COBERTURA
Pesquisadores debatem uso da Inteligência Artificial nas estratégias de desinformação
O encontro foi realizado no dia 19 de agosto pelo C4AI / AI Humanity e o NAP Observatório da Inovação e Competitividade do IEA. Nina Santos, pesquisadora em pós-doutorado no Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Democracia Digital e Miguel Lago, professor da School of International and Public Affairs da Universidade de Columbia e da École d’Affaires Publiques de Sciences Po Paris, discutiram como o vasto conjunto de procedimentos incorporados às máquinas, aos algoritmos e às ferramentas de Inteligência Artificial (IA) – que, por meio das redes sociais, privilegiam o fluxo e a disseminação de conteúdos manipulados – podem interferir diretamente no debate público e nas relações de poder.
“O professor [Lagos] também destaca os estudos de Luciano Floridi, da Universidade de Oxford, que defende a ideia de que entramos na hiper-história, onde todas as relações sociais sofreram importantes mutações: “Floridi fala que no fundo não faz mais sentido a gente falar de uma distinção entre o offline e o online, porque cada vez mais existe uma mistura entre estes ambientes. E por conta dessa mistura perdemos a distinção daquilo que é realidade e virtualidade e passamos a confiar muito mais em perfis e pessoas do que em entidades e instituições”.
A mediação foi de Eugênio Bucci. Você pode ler a cobertura de Vinícius Lucena na íntegra.
CFP
Revista Internet&Sociedade abre chamada para submissão de trabalhos
Dossiê temático: Dados e Políticas Públicas
Além do dossiê especial, o InternetLab recebe artigos, resenhas, traduções e produções artísticas relacionadas aos múltiplos temas que compõem o escopo temático da revista. Dentre eles: privacidade e proteção de dados; vigilância, monitoramento e controle social; liberdade de expressão; discurso de ódio e violência online; inteligência artificial; política e democracia digital, ativismo e movimentos sociais online; economia do compartilhamento e direitos autorais. Acesse a submissão. O prazo é 24 de setembro.
INDICAÇÕES
BLOG-REPOSITÓRIO
Acompanhe os ensaios dos pesquisadores da Cátedra Oscar Sala, do IEA
Os encontros e debates da Cátedra Oscar Sala, coordenada pela professora Lucia Santaella no Instituto de Estudos Avançados, na USP estão armazenados em um repositório. Acesse as sugestões de leituras, indicações de audiocasts e as postagens com questões-chave acerca das simbioses humano-tecnologias e dos dilemas da hiperconectividade em discussão, do grupo de (cerca de 60) pesquisadores pandisciplinares, não somente de várias áreas de conhecimento, bem como de uma diversidade de regiões cobrindo os quatro cantos do Brasil. Veja um exemplo no vídeo abaixo, e se gostar, acesse o blog-repositório.
Tudo vigiado por máquinas de adorável graça
Tudo vigiado por máquinas de adorável graça
LEITURAS
This is the real story of the Afghan biometric databases abandoned to the Taliban
Afghans targeted by biometric data
Afghans targeted by biometric data
MIT Technology Review by EILEEN GUO HIKMAT NOORI, AUGUST 30, 2021.
As the Taliban swept through Afghanistan in mid-August, declaring the end of two decades of war, reports quickly circulated that they had also captured US military biometric devices used to collect data such as iris scans, fingerprints and facial images. Some feared that the machines, known as HIIDE, could be used to help identify Afghans that had supported coalition forces.
According to experts speaking to MIT Technology Review, however, these devices actually provide only limited access to biometric data, which is held remotely on secure servers. But our reporting shows that there is a greater threat from Afghan government databases that contain sensitive, personal information that could be used to identify millions of people around the country. Leia na íntegra
E ainda no texto do Intercept: The Taliban have seized u.s. military biometrics devices. Biometric collection and identification devices were seized last week during the Taliban’s offensive
DOCUMENTÁRIO
Coded Bias, documentário dirigido por Shalini Kantayya e disponível na Netflix. This documentary investigates the bias in algorithms after M.I.T. Media Lab researcher Joy Buolamwini uncovered flaws in facial recognition technology.
Leia sobre o Coded Bias na coluna de Dora Kaufman: Documentário Coded Bias: rostos como última fronteira da privacidade
“O documentário clama por regulamentação. Kathy O’Neal, por exemplo, propõe a criação de uma agência reguladora da IA, que exigiria dos desenvolvedores da tecnologia evidências de que seus sistemas não causam danos à sociedade. “Prove que é legal antes de lançar”, vaticina O’Neal. A prática, contudo, está mostrando que identificar e denunciar os danos é mais fácil do que regulamentá-los”.
EXPOSIÇÃO
Rituais da complexidade, de Fernando Velázquez
Obra de Fernando Velázquez
Obra de Fernando Velázquez
Em sua quarta exposição individual na Zipper Galeria, o artista investiga os vieses da inteligência artificial a partir de uma perspectiva decolonial. Dando continuidade às questões abordadas na exposição “Iceberg” (Zipper Galeria, 2018), na qual chamava atenção para o impacto que os algoritmos de inteligência artificial vêm introduzindo na sociedade, Fernando Velázquez agora atenta para a necessidade de repensar as matrizes que dão forma a tal realidade. Para o artista:
“As narrativas que modulam o imaginário coletivo nesta direção, nem sempre transparecem o quanto tecnologias e dispositivos trazem embutidas as visões de mundo e as ideologias daqueles que as criaram”
Para quem estiver em São Paulo, a exposição vai até dia 25 de setembro.
AUDIOCAST
Stream Capitalismo de Vigilância e/ou Cidadania Planetária com Massimo di Felice e André Lemos by Audiocasts Cátedra Oscar Sala | Listen online for free on SoundCloud
AVISO
Participantes do Seminário
A próxima edição da newsletter vai trazer a lista dos trabalhos selecionados dentre os 101 resumos expandidos inscritos.
Artificial Intelligence and Humanity Seminars
#Savethedate Seminário Internacional Inteligência Artificial: Democracia e Impactos Sociais. 13 e 14 de dezembro de 2021. Junte-se a nós! Em breve, informações sobre os palestrantes. Confira a programação. Acompanhe-nos nas redes sociais! https://t.co/3MgCBwSG9W
Siga-nos
Contato
C4AI – Humanidades – USP - c4ai.human.seminar@usp.br
O C4AI
Centro de Inteligência Artificial (Center for Artificial Intelligence – C4AI) tem o compromisso de desenvolver pesquisas no estado da arte em Inteligência Artificial (IA), explorando tanto aspectos básicos quanto aplicados nesta área. Com suporte da IBM e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), o C4AI também desenvolve estudos sobre o impacto social e econômico da IA e conduz atividades de disseminação de conhecimento e transferência de tecnologia, procurando formas de melhorar a qualidade de vida humana e incrementar diversidade e inclusão.
O C4AI foi estabelecido em 2020 por meio de significativo aporte da IBM e FAPESP. A instituição sede é a Universidade de São Paulo (USP), operando em parceria com as instituições associadas ITAPUC-SP e FEI. A USP dá suporte a pessoal e espaço para o C4AI de forma a corresponder aos aportes feitos.
Curtiu essa edição?
Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades - Newsletter

Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades

Para cancelar sua inscrição, clique aqui.
Se você recebeu essa newsletter de alguém e curtiu, você pode assinar aqui.
Curadoria cuidadosa de Centro de Inteligência Artificial (C4AI) - Equipe de Humanidades - Newsletter via Revue.
Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 370 - Butantã, São Paulo, SP - Brasil - 05508-020