View profile

☕ Café com Satoshi #20: FBI Prende Cabeça da Ethereum 🚓🚨

A notícia mais relevante da semana passou quase despercebida. Um dos cabeças da Ethereum foi preso pe
☕ Café com Satoshi #20: FBI Prende Cabeça da Ethereum 🚓🚨
By Paradigma • Issue #19 • View online
A notícia mais relevante da semana passou quase despercebida. Um dos cabeças da Ethereum foi preso pelo FBI. Transitava pelos EUA pela primeira vez depois de uma viagem à Coreia do Norte.
Virgil Griffith, até então “diretor de projetos especiais” na Ethereum Foundation, é acusado de colaborar com inimigos americanos para se driblar sanções financeiras, e deve pegar entre 5 e 20 anos de cadeia

⚒️ A Queda de Virgílio
Nicola Greco, Vitalik Buterin, o cachorro Doge, Aya Miyaguchi, Virgil Griffith e Karl Floersch - “alta cúpula da Ethereum” no Japão.
Nicola Greco, Vitalik Buterin, o cachorro Doge, Aya Miyaguchi, Virgil Griffith e Karl Floersch - “alta cúpula da Ethereum” no Japão.
Virgil tem 36 anos, e gosto por construir pontes.
Garantiu o intercâmbio de conhecimento entre a Fundação Ethereum e a Ethereum Enterprise Alliance. Palestrou em conferências da Ethereum Classic, rival histórica da criptomoeda cujos fundadores o empregam.
Seu passado não são só rosas. Anos atrás, fora acusado de traidor na comunidade de código aberto, por supostamente ter recolhido informações privadas de usuários em um serviço que fingia usar Tor, e tentado revendê-las para a Interpol.
Por amigos, era conhecido como aquele cara “que faz coisas estranhas”, e está sempre flertando com os limites para tentar empurrá-los além.
Virgil em encontro durante o processo que culminou com o reconhecimento da Ethereum como Halal.
Virgil em encontro durante o processo que culminou com o reconhecimento da Ethereum como Halal.
🇰🇵 Virgil e a DPRK
Virgil nutria um fascínio antigo pela Coreia do Norte, como evidenciam as dezenas de postagens no seu Twitter sobre o tema.
Discussões sobre a DPRK costumam desembocar em um dilema conciso: o regime é um dos mais cruéis que existiram nos últimos tempos. Mas existem dezenas de milhões de pessoas lá que não integram o regime. Qualquer interação com a nação é anti-ética… ou existem meios de se comunicar/empoderar exclusivamente “o povo”, que, no fim das contas, é que sofre as consequências finais do isolamento internacional?
Griffith teria questionado o Departamento de Justiça se poderia viajar à DPRK - e teria sido informado de que não, diante das sanções em vigor.
Foi, mesmo assim. Twittou foto do visto, assim que o obteve:
Havia sido convidado para palestrar na 1º “North Korean Blockchain Conference”. Seu tema: “Blockchain e Paz”. A ideia mais ousada: fazer uma transferência de $ETH entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte (driblando a proibição hoje em voga).
Virgil teria reconhecido oficiais do governo na audiência, e deles ouvido algumas das indagações técnicas mais profundas sobre contratos autônomos.
Críticos dirão que a conferência provavelmente era inteira atendida por membros do regime. Alguns acreditarão que havia “gente normal” escutando também.
Em chats com colegas e amigos, fora aconselhado severamente contra a viagem.
No Twitter, Vitalik comentara, em um de seus posts sobre a conferência: “Enjoy!” (“Aproveite!“). Vitalik só se pronunciou sobre a detenção do amigo dias depois do ocorrido.
Alguns dos conselhos recebidos por Virgil quanto às férias na Coreia.
Alguns dos conselhos recebidos por Virgil quanto às férias na Coreia.
💣 Criptomoedas vs. Estados-Nação
A situação legal de Virgil é complicada.
Existe a defesa hipotética de que tudo sobre o que palestrou na Coréia é informação pública - portanto a acusação é inconstitucional diante da 1ª emenda. Mas se Virgil de fato elaborou sobre evadir sanções, e, pior ainda, se de fato fez uma transação simbólica de ether entre as duas Coreias, a intenção é inquestionável - e a pena, clara.
À parte os julgamentos morais, 2 verdades inconvenientes nos saltam aos olhos, nessa história:
1) Quase toda tese que vislumbra a adoção global de criptomoedas presume um período de embate entre estados-nação e “cripto-soberanias”. Já propusemos aqui que as nações marginalizadas serão as primeiras a “jogar do lado” das criptomoedas - assim como as indústrias marginalizadas das drogas, pornô e etc costumam ser pioneiras em adotar novas tecnologias. Quer aprovemos ou não, o que a Coreia do Norte está fazendo é prova disso.
2) Virgil não é o primeiro “membro do círculo interno da Ethereum” a cair nas garras do Departamento de Justiça americano.
E o segundo ponto, em particular, pode ter consequências severas sobre o futuro do ether. Se quiser entender melhor, elaboramos nossa opinião aqui (paywall) 👉LINK 🔗
🏃 Rapidinhas
⛏️ Pesquisa brasileira inédita refuta o FUD de que mineradores comandam os preços no Bitcoin: o “poder de fogo” de mineradores não é tão grande quanto se costuma alardear - tampouco há evidência de relações significativas entre o comportamento deles e os preços de mercado. Saiu no CriptoFácil.
🚰 Entendendo de uma vez por todas o Modelo do Stock-to-Flow: relatório que publicamos pra entender o básico sobre o modelo que vem ajudando muitos investidores tradicionais a atribuir valor ao Bitcoin de acordo com sua escassez - e se aventurar a pôr capital nele.
📚 Leitura Recomendada
  • 🗿 The Sovereign individual Investment Thesis (Phil Bonello): uma tese de investimento que abarca negócios modelados em cima de 5 motivações humanas no contexto da auto-soberania: adquirir (cobiça); defender (medo); conectar (pertencimento); aprender (curiosidade); sentir (escape).




  • ☢️ The Missing Cryptoqueen (BBC): série de podcasts extremamente bem produzidos sobre a história de um dos maiores (e mais prósperos) esquemas de pirâmide que o mundo das criptomoedas já viu.
Paradigma
🎓 Curso grátis de Bitcoin: www.7DiasDeBitcoin.com.br
Did you enjoy this issue?
Paradigma

☕ Café com Satoshi

If you don't want these updates anymore, please unsubscribe here.
If you were forwarded this newsletter and you like it, you can subscribe here.
Powered by Revue