( aperte o alt ) - Renato Alt

Tem horas que a gente precisa dar uma escapada.

Tem horas que a gente precisa dar uma escapada.

By subscribing, you agree with Revue’s Termos de Uso and Política de Privacidade and understand that ( aperte o alt ) - Renato Alt will receive your email address.

9

edições

#9・

"R" • ( aperte o alt ) - Edição Nº9

"30 de julhoAs noites são tão longas que às vezes me parece não haver dia que separe uma da outra.Além da escuridão infindável, a estação das chuvas parece igualmente persistente: não há meios de vencer as goteiras, e a cada novo período de descanso, vejo-me …

 
#8・

"A." • ( aperte o alt ) - Edição Nº8

"21 de maioNenhum dia é mais belo do que aquele em que minhas mãos seguram palavras tuas.Me angustiam os dias de silêncio. Me angustia esse teu estar não-sei-onde, sujeito a homens e aos humores da natureza. Me angustia imaginar o que pode ter acontecido no m…

 
#7・

"'Sempre seu," • ( aperte o alt ) - Edição Nº7

"8 de fevereiroTu não acreditarias no frio. Ou na chuva. Ou no vento que açoita as árvores, ou no quanto elas reclamam quando dobram-se sobre si mesmas, forçadas a agarrar-se à terra, temendo desabar sobre pedras e estradas e rios ao redor. Nas poucas vezes e…

 
#6・

Lânguida fronte no sonhar • ( aperte o alt ) - Edição Nº6

Virou-se novamente para a direita, e percebeu outra estante enorme; poderia jurar que não estava ali um segundo atrás. A velha, ocupadíssima com alguma coisa impossível de entender, permitiu-se olhar para o lado e também um breve sorriso. Ainda que dissesse q…

 
#5・

no leito perfumado ( aperte o alt ) - Renato Alt - Edição Nº5

- Tiro daqui os cacos, seu sorriso se refaz inteiro - a senhora deu uma piscada de olho, sorrindo, ela, também.Assim a menina - sim, refeita - subiu correndo a primeira escada que viu. Parou, pensativa. O pote que pegou era daqueles de uma prateleira alta: do…

 
#4・

"Quando à noite" • Edição Nº4

Assim que entrou na loja, ficou um pouco atordoada: primeiro, era o cheiro; bom, mas forte, de madeira, fumaça e grama molhada, e cheiro de coisa antiga, muito antiga, mas sem nome. Depois, eram as prateleiras, imensas: não conseguia ver o topo, nada, de nenh…

 
#3・

"Ido" • Edição Nº3

Ela sai agora.Sai porta afora, agora.Não olha pra trás, para o que ficou pra trás.Passa e sai.E já saiu, agora.Desceu as escadas.Passou da porta, vai porta afora.Porta afora, agora.Deixou a casa pra trás, a casa e a porta.Viu o mundo à frente.Saiu afora, agor…

 
#2・

"O Porta-retratos" • Edição Nº2

Ela embrulhou o vaso em uma folha de jornal, depois de tê-lo enchido com tantas outras, e colocou-o com cuidado na caixa. Era a caixa da TV que, por algum motivo, não haviam jogado fora, e que por meses guardou em silêncio tantas das coisas que foram perdendo…

 
#1・

"Ciranda" • Edição Nº 1

Todos os dias ele precisava organizar a beleza do mundo.Não lembrava ao certo de quando lhe fora dada a responsabilidade, mas sabia que, agora, dele dependiam milhares de turistas afoitos, munidos que estavam com seus cartões de memória de 1 terabyte, com seu…